27 de abril de 2016

{Resenha} A Rosa da Meia-Noite

A Rosa da Meia-Noite
Título Original: The midnight rose
Autor (a): Lucinda Riley
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 576
Ano de Publicação: 2014
Sinopse: Atravessando quatro gerações, A Rosa da Meia-Noite percorre desde os reluzentes palácios dos marajás da Índia até as imponentes mansões da Inglaterra, seguindo a trajetória extraordinária de Anahita Chavan, de 1911 até os dias de hoje. Uma paixão para a vida toda. Uma procura sem fim. No apogeu do Império Britânico, a pequena Anahita, de 11 anos, de origem nobre e família humilde, aproxima-se da geniosa Princesa Indira, com quem estabelece um laço de afeto que nunca mais se romperia. Anahita acompanha sua amiga em uma viagem à Inglaterra pouco tempo antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial. Ela conhece, então, o jovem Donald Astbury, herdeiro de uma deslumbrante propriedade, e sua ardilosa mãe. Oitenta anos depois, Rebecca Bradley é uma jovem atriz norte-americana que tem o mundo a seus pés. Quando a turbulenta relação com seu namorado, igualmente rico e famoso, toma um rumo inesperado, ela fica feliz por saber que o seu próximo papel uma aristocrata dos anos 1920 irá levá-la para muito longe dos holofotes: a isolada região de Dartmoor, na Inglaterra. As filmagens começam rapidamente, e a locação é a agora decadente Astbury Hall. Descendente de Anahita, Ari Malik chega ao País sem aviso prévio, a fim de mergulhar na história do passado de sua família. Algo que ele descobre junto com Rebecca começa a trazer à tona segredos obscuros que assombram a dinastia Astbury.
 

Este foi a primeira e única obra que li da autora Lucinda Riley e honestamente me arrependo de nunca ter lido as outras obras. 

Capa original americana
Anahita Chavan completa 100 anos e em seu aniversário, aproveitando a reunião de família, escolhe um de seus bisnetos, Ari Malik para entregar muitas páginas que ela escreveu sobre sua história. Ari, assim como todos da família de Anahita não acredita nas loucuras que a bisavó conta, mas ao começar a ler a história verá que as coisas serão muito mais difíceis e reais do que ele possa imaginar.

“- Nani, por que eu? Por que não dar a sua história a sua filha ou a meu pai?Anahita o fitou longamente.- Porque, Ari, o que você segura nas mãos é a história do meu passado, mas também é o seu futuro.” – Trecho pg. 24

Paralelamente, somos apresentados à outra protagonista Rebecca Bradley, uma jovem atriz norte-americana, que está no auge da sua fama, com um namorado que todos acreditam ser o homem da sua vida. Mas é isso que ela quer? A que preço essa fama afeta sua vida? Rebecca então recebe a proposta para filmar numa pequena cidade de Dartmoor na Inglaterra, longe dos paparazzis, um filme que retratará os anos de 1920. Para as filmagens Rebecca conhecerá a mansão de Astbury Hall, e lá descobrirá que sua aparência tão semelhante à personagem que interpretará, levará à um grande mistério na mansão.

"Qualquer “beleza” que possa ser considerada valiosa em mim se esconde profundamente em minha essência. É a sabedoria de cem anos vividos nesse mundo, e um coração que tem batido em um cadenciado acompanhamento para todos os imagináveis comportamentos e emoções humanos" – Trecho pg. 11

Duas histórias de duas mulheres incríveis que se ligarão no decorrer da trama, e que tirarão o fôlego dos leitores. Me lembro que ao ler a história, a escrita me tocou de uma maneira tão profunda que eu cheguei a sonhar com os cenários da Índia, com elefantes, e com a própria personagem. Foi um livro que ficará na minha memória para sempre!

Ao final da narrativa, sinto que a autora envolve um pouco de espiritismo no romance, para quem acredita entenderá o que estou dizendo por um simples detalhe nas últimas páginas do romance.

Fiquei impressionada com a pesquisa que a autora fez sobre os costumes, vestimentas da época, do local, e de como ela consegue passar todo esse detalhamento ao leitor de maneira gostosa de ler, e não de modo cansativo, detalhista demais. Particularmente, eu enfatizo o detalhamento que ela deu à Índia, e toda as coisas exóticas que ela traz, como marajás, príncipes, princesas, elefantes, joias, palácios, contrastando com a pobreza, a miséria, as doenças do povo humilde.

Com a narrativa intercalada entre passado e presente, a autora consegue não deixar nenhuma ponta solta, mesmo narrando muitos fatos do passado se interligando ao presente e por mais que o leitor tente adivinhar o desfecho, jamais saberá a grande surpresa do final. 

Além dos protagonistas, a obra possui inúmeros personagens secundários, que apesar de serem secundários, a autora conseguiu fazer com que cada um se tornasse inesquecível, até mesmo aqueles que nós gostaríamos de esquecer por suas maldades. 

O que gostei da escrita da Lucinda é a paixão que ela narra os fatos. Neste livro, a autora também mostra à nós o quão perverso pode ser o ser humano por preconceito, vingança e interesse financeiro. Em contrapartida, demonstra o quão linda pode ser uma grande amizade, o quão as pessoas podem ser boas e o quão ter fé no que realmente acreditamos nos leva ao que tanto almejamos.
"Às vezes é impossível compreender por que aqueles a quem amamos são tirados de nós!" – Trecho pg. 190 
As pessoas não conhecem muito esse livro, ou não tem muito interesse por ele. Mas LEIAM! É perfeito, maravilhoso e te afetará de alguma forma, tenho certeza! Foi um livro que me levou a famosa ressaca literária e o vazio profundo com o término.





4 comentários:

  1. Oi Lylu!!
    Eu adoro a escrita tão rica em detalhes da Lucinda. O primeiro livro que li da autora foi "A Casa das Orquídeas" e depois "A Luz Através da Janela" e logo me encantei pela mescla entre passado e presente que ela cria. Este foi o terceiro livro que li dela e até o momento é meu favorito!!
    Agora é aguardar o lançamento do próximo livro em junho! :)
    Beijos,

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bah!
      Eu amei esse livro e infelizmente foi o único lido por mim até o momento! Mas esse eu guardo no meu coração! Fiquei fascinada pela escrita dela! E sem contar que ela é um amor de pessoa.
      Obrigada pela visita!
      Beijinhos

      Excluir
  2. Amiga simplesmente amei suas palavras para descrever essa leitura. Meu encanto foi tanto que meu desejo foi sair correndo comprar e começar a ler logo. Parabéns pela leitura que tocou seu coração.
    Adoro essa capa!!! Estou me planejando para comprar todos os livros dessa autora!!!

    P.s. Também costumo sonhar com os cenários e personagens de livros que me envolvem.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  3. *-* Ahhh Line muito obrigada!!!
    Eu amei a escrita da Lucinda... se for começar a ler, leia este primeiro! Vai se apaixonar... com certeza!!!
    hahaha eu normalmente não sonhava, mas foi muito mágico quando sonhei com este! ♥
    Beijinhos

    ResponderExcluir