3 de julho de 2016

{Resenha} Você se lembra de mim?

Você se lembra de mim?
Título Original: Hola, ¿te acuerdas de mí?
Autor (a): Megan Maxwell
Editora: Planeta (Selo Essência)
Número de Páginas: 496
Ano de Publicação: 2016
Sinopse: Alana é uma mulher independente que não acredita no amor e tem na profissão sua única razão de viver. Jornalista freelancer, é enviada a Nova York para escrever uma reportagem sobre a metrópole, onde conhece o atraente Joel Parker. Quando ela descobre que aquele homem bonito e sedutor que tem lhe feito companhia nos últimos dias é um militar, como seu pai uma lembrança que ainda a assombra, a jornalista desaparece sem deixar vestígios. Apesar de resoluta em sua vontade de se afastar do capitão da Marinha americana para não repetir a história de sofrimento de sua mãe, ela não conseguirá aplacar o desejo de seu coração por Parker. Quem vencerá essa disputa entre razão e emoção? O passado de sua mãe irá assombrá-la ainda mais ou irá ajudá-la a esclarecer muitas questões mal resolvidas?

Começo minha resenha com algo que você deva saber sobre esse livro. Não leia a sinopse e logo em seguida leia o livro. Você provavelmente passará em média umas 200 páginas perdido no enredo. A sinopse não expressa nem metade do que realmente acontece na história. Isso é bom para o leitor não criar expectativa e se surpreender com a ótima narrativa.
“- Certa vez ouvi alguém dizer – interrompeu ele – que as boas ideias são aquelas que nos surpreendem por não termos pensado nelas antes” – Trecho pg. 473
Capa original
Este é o primeiro livro que leio da autora Megan Maxwell e não conhecia nada sobre sua escrita. Primeiro, gostei bastante foi o fato de ter elementos da Espanha, e para quem me conhece, sabe que AMO a Espanha que um dos meus sonhos é ir para lá, assim como aprender a falar espanhol. Então a autora já me ganhou ali. rs Mas brincadeiras à parte, a autora me ganhou com sua fantástica narrativa.

A trama é dividida em 2 partes, ambas narradas na terceira pessoa. O passado, onde somos apresentados à história de Carmem e o presente, com a história de Alana, filha de Carmem.

Parte I

Década de 1960, Carmem Rodríguez e sua irmã Loli, deixam a Espanha e família, na busca de um emprego e um salário melhor na Alemanha. Lá conhecem Teresa, uma moça também espanhola e Renata, uma alemã bem moderna. O que as 4 tinham em comum? O sonho de melhorar de vida. E apesar dos jeitos completamente diferentes, elas descobririam o poder da amizade. O que Carmem e Loli não contavam era com o amor e ambas conhecem soldados americanos, Carmem conhece Teddy Díaz e Loli, Dário Cano. Apesar de a primeira parte contar sobre a história de todas, o foco é Carmem, e com o passar das páginas nos encantamos com o amor entre ela e Teddy. O problema é que a vida não é feita só de flores, e em tempo de guerra, o destino pode ser muito cruel com alguns.
“Se algo estou aprendendo com essa maldita guerra é que a vida, e especialmente o presente, deve ser desfrutado o máximo possível, para que se transformem em algo único e especial. O futuro vai chegar, mas o presente é hoje.” – Trecho pg. 374
Parte II

35 anos depois, Alana, filha de Carmem, jornalista bem-sucedida, recebe uma proposta para ela e sua amiga cobrirem um evento em Nova York. E apesar do destino ser cruel algumas vezes, ele pode também pregar peças, e é nessa que Alana conhecerá Joel Parker, um capitão do exército americano. Assustada com as lembranças do passado de sua mãe, Alana fará de tudo para evitar Joel. Mas será que isso será o suficiente?
“Isso me fez entender a pressa dos militares e perceber que, quando queremos uma coisa e surge a oportunidade, não devemos deixa-la escapar, porque a vida, assim como dá, toma.” – Trecho pg. 163
Outro ponto que você leitor deve saber é que a primeira parte é baseada na história real da mãe da autora Megan, ou seja, a autora nos conta toda a magia da história de seus pais. Mas é bom deixar claro que a segunda parte a autora esclarece que é puramente fictícia e o final foi inventado para deixar a história lógica, porém não real. O título, também foi baseado na história dos pais da autora, da frase: “Olá, você se lembra de mim?”

O que gostei muito foi a construção de todas as personagens de Megan. Tanto do passado: Carmem, Loli, Teresa e Renata, quanto do presente, Alana e Isa. Todas têm personalidades fortes e que se completam de alguma forma, as tornando inseparáveis e com uma amizade especial.

O livro possui algo que gosto bastante, elementos que enriquecem a narrativa, e conhecidos pelo leitor. A trilha sonora acompanha toda a narrativa é muito bem aproveitada. Aqui está uma que ela menciona e que eu adoro!
“Quando acabou, decidiu procurar outro canal de música um pouco mais alegre. Não queria romantismo; pôs na MTV atual. Instantes depois, a voz de Michelle Branch com Santana cantando The Game of Love a fez dançar.” – Trecho pg. 276

Outro elemento que adoro nas narrativas de romance é a existência de um diário e a transcrição de trechos dele. Isso faz a história ficar ainda mais romântica.

A autora é conhecida pela escrita do gênero “hot”, nesse livro, há alguns trechos na segunda parte que de fato são hot, mas nada que caracterize o livro neste gênero somente. Classifico muito mais como um romance do que hot.

Em relação à capa e a diagramação a Editora Planeta está de parabéns! A capa é muito bonita, mas seria bom se demonstrasse algo do passado além do diário na mão de Alana.

A autora mostra que alguns vínculos não se rompem independente do tempo, das circunstâncias, e que o amor quando é forte, nunca se acaba e sempre vence!
“Isso era o melhor daquele filme: no final, o amor sempre, sempre vencia.” – Trecho pg.381
Com certeza é uma história inesquecível, com um final terno e emocionante que aquecerá muitos corações.


Nenhum comentário:

Postar um comentário